Responsabilidade Ambiental | Ações de Sustentabilidade

Uma das prioridades do Sistema de Gestão Ambiental é o controle e manutenção das áreas de preservação permanente. Para isso, a empresa possui um viveiro florestal que produz anualmente mudas de diferentes espécies nativas e frutíferas.

As mudas produzidas são utilizadas em recuperação de áreas degradadas e também destinadas a projetos socioambientais nos diversos municípios da região, nos quais a empresa atua como parceira.

O consumo de recursos naturais como água, energia elétrica e combustível (diesel, etanol e GLP) é monitorado mensalmente, conforme procedimentos estabelecidos pelo sistema de gestão ambiental da empresa. A partir da quantificação do consumo são estabelecidas metas de redução nas suas aplicações.

ÁGUAS SUPERFICIAIS E SUBTERRÂNEAS

A empresa realiza continuamente o monitoramento da qualidade das águas superficiais e subterrâneas da região. São efetuadas coletas de amostras de águas superficiais dos rios, córregos e lagoas para a avaliação da sua qualidade através de parâmetros químicos, físicos e biológicos.

O acompanhamento da qualidade das águas subterrâneas é realizado através de poços de monitoramento.

EFLUENTES LÍQUIDOS

São efetuadas coletas de amostras de efluentes em sistemas de tratamento de esgoto e separadores de água e óleo para a avaliação da qualidade antes da sua disposição final.

Toda a água utilizada no processo industrial opera em circuito fechado. Desta forma, ocorre uma redução da quantidade captada, gerando um volume menor de resíduos líquidos.

O monitoramento de fumaça preta das máquinas móveis é realizado periodicamente ou quando ocorre evidência de fumaceamento nos equipamentos.

Todas as caldeiras na Unidade Industrial, onde é realizada a combustão do bagaço da cana para cogeração de energia elétrica, são dotadas de lavadores e filtros de gases. O monitoramento das emissões atmosféricas das caldeiras é realizado anualmente. Os parâmetros material particulado (MP) e óxidos de nitrogênio (NOx) são determinados no monitoramento e devem atender à Resolução Conama 436, de 22 de dezembro de 2011, que estabelece os limites máximos de emissão de poluentes atmosféricos para fontes fixas.

Os ruídos gerados nas operações da Usinas Itamarati são monitorados e controlados visando à segurança dos empregados e o conforto da comunidade ao entorno. As medições dos Níveis de Pressão Sonora (NPS) são realizadas periodicamente conforme as especificações contidas na NBR 10151:2000. Os pontos de medição são escolhidos estrategicamente com base na localização dos receptores de ruídos.

Com dois laboratórios próprios destinados ao controle biológico das pragas broca-da-cana (Diatraea saccharalis) e cigarrinha-das-raízes (Mahanarva fimbriolata), a empresa diminuiu a aplicação de produtos químicos, preservando o meio ambiente.

A adubação orgânica maximiza benefícios, como o controle da poluição ambiental, e auxilia na economia de adubo mineral, no aumento da produtividade e na longevidade dos canaviais. A empresa desenvolve dois tipos de adubação orgânica:

ADUBAÇÃO LÍQUIDA (FERTIRRIGAÇÃO)

A fertirrigação é realizada por meio da utilização da vinhaça, que é o resíduo final da fabricação do álcool. Ela apresenta como principais características a sua riqueza em matéria orgânica, além de um alto teor de potássio, constituindo-se em fator importante para a melhoria das características químicas, físicas e biológicas dos solos, com reflexo direto no aumento da produtividade e longevidade dos canaviais.


ADUBAÇÃO SÓLIDA

Com a implantação da Central de Compostagem, os resíduos sólidos gerados no processo produtivo, como a torta de filtro e as cinzas são transformadas em adubo orgânico permitindo aplicações de padrões de doses menores em relação aos utilizados quando “in natura”, viabilizando sua aplicação em áreas maiores e mais distantes da usina.

A compostagem dá destino ambientalmente correto a estes resíduos, com o benefício de redução da necessidade de adubação química, nas áreas onde este adubo orgânico (composto) é aplicado.


PLANTIO EM COBERTURA

Prática de caráter orgânico destinada a manter o solo coberto durante o período de pousio (interrupção da cultura por um ano, para descanso da terra) e o período chuvoso. O objetivo é reduzir os efeitos da erosão e melhorar as condições físicas e químicas do solo.

PRÁTICAS DE CARÁTER MECÂNICO

Como medidas para minimizar os impactos decorrentes das chuvas, que acarretam o escoamento superficial, são adotadas práticas de caráter mecânico, como, por exemplo, o terraço embutido que visa reduzir a erosão e evitar o assoreamento de cursos de água.

Outro processo é a subsolagem, que, ao destruir a camada compactada do solo, melhora a infiltração de água permitindo o controle da erosão. Esta prática gera um melhor desenvolvimento do sistema radicular dacultura de cana-de-açúcar, traduzindo-se em maior produtividade. Para controlar a erosão, a permanente conservação das estradas desempenha também papel fundamental na conservação dos solos.

As embalagens de defensivos são submetidas à tríplice lavagem no campo. A água resultante da lavagem é armazenada em tanques para reaproveitamento.

Todas as embalagens são inutilizadas, perfurando-se o fundo, e armazenadas em locais apropriados até sua devolução às centrais de recebimento licenciadas.

A Usinas Itamarati adota um sistema próprio para controle e eliminação de gotejamentos e vazamentos de óleo em máquinas móveis. Evita, assim, a poluição do meio ambiente e gera economia no consumo de óleo.

Fornecedores e prestadores de serviço respondem ao “Questionário de Avaliação Ambiental” antes de serem contratados. Caso, no desempenho de suas atividades, seja identificado algum aspecto ambiental que possa causar risco de impacto significativo, eles são orientados a atender primeiramente os requisitos ambientais exigidos pela Usinas Itamarati, antes de uma eventual contratação.

Através de auditorias externas, o Sistema de Gestão Ambiental avalia os itens respondidos pelos fornecedores e prestadores de serviço no questionário de avaliação, assim como outros fatores considerados relevantes para um desempenho ambiental em consonância com a Política Ambiental da Usinas Itamarati.

A Usinas Itamarati possui metodologia própria que descreve como estabelecer, executar e documentar a tomada de ações corretivas e preventivas geradas a partir da identificação de não conformidades ou potencial não conformidades.

Para iniciar uma ação corretiva ou preventiva, o Sistema de Gestão Ambiental investiga a não conformidade ou potencial não conformidade, suas causas e as ações apropriadas, estabelecendo um plano de ação e a data prevista para essas ações.

Para as situações emergenciais que porventura possam ocorrer durante a realização de atividades sob a responsabilidade ou corresponsabilidade da Usinas Itamarati, são estabelecidos e padronizados procedimentos técnicos e administrativos.

Estes procedimentos subsidiam o gerenciamento e adoção de ações rápidas e eficientes, para evitar ou minimizar a ocorrência de danos pessoais

e/ou materiais, proteger áreas vizinhas e conservar o meio ambiente.

Os empregados também participam de maneira efetiva dos treinamentos e exercícios simulados com o intuito de estarem aptos a agir em situações de emergência.

A empresa possui comitês ambientais, compostos por profissionais de todas as áreas. Os comitês colaboram na identificação de aspectos e impactos ambientais, asseguram a realização de controles definidos pelo Sistema de Gestão Ambiental e multiplicam as informações do SGA aos empregados

e terceiros. As gerências definem também os seus líderes ambientais, empregados capacitados para ministrar treinamentos e conduzir os procedimentos relativos ao SGA em seus setores.

As patrulhas ambientais são compostas por empregados do Sistema de Gestão Ambiental e dos diversos setores da empresa. Verificam se as ferramentas e procedimentos do SGA estão sendo implementados e mantidos nas suas respectivas áreas.

 

No programa de gestão de mudanças, os potenciais aspectos e impactos ambientais de novos projetos que envolvam mudanças de localização, construção e ampliação de área são avaliados.

De acordo com as situações identificadas, os responsáveis dos projetos devem definir as ações a serem tomadas para evitar a geração dos impactos ambientais.

Antes de efetuar a compra de madeira e/ou produtos à base de madeira, a Usinas Itamarati verifica a sua procedência, para confirmar se a mesma possui procedência legal.

Todos os setores da Usinas Itamarati realizam a coleta seletiva. Os resíduos recicláveis, não recicláveis e perigosos são segregados conforme sua caracterização.

Os resíduos perigosos são encaminhados aos fabricantes através da logística reversa e/ou destinados para descontaminação ou incineração em empresas licenciadas.

Tem por objetivo unir os remanescentes florestais possibilitando o livre trânsito de animais e dispersão de sementes.