PESQUISA

02 de junho de 2017

Usinas Itamarati integra o Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal

Desde junho de 2016, a Usinas Itamarati integra o Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal. Foi a primeira adesão da iniciativa privada ao Pacto.

Comunicação Usinas Itamarati

Vídeo produzido por WWF-Brasil (Youtube)



A Usinas Itamarati foi a primeira empresa a integrar o Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal – movimento lançado em 2015 para recuperar nascentes degradadas e conservar as porções altas dos rios Paraguai, Sepotuba, Jauru e Cabaçal.

A empresa se comprometeu em promover a troca de experiências em educação ambiental, planejar a recuperação de Áreas de Preservação Permanente (APPs) e de nascentes, além de participar na elaboração e na gestão do Plano de Bacia do rio Paraguai.

“Nossa empresa tem forte preocupação com o meio ambiente e integrar o Pacto revela esse compromisso. É também uma oportunidade de cuidar das águas que não só alimentam os animais e plantas do Pantanal, mas que nos ajudam a promover o desenvolvimento sustentável de uma região na qual vivem e produzem mais de três milhões de pessoas”, afirma o gerente de meio ambiente da Usinas Itamarati, Caetano Henrique Grossi.

O Pacto conta com parceiros como o governo de Mato Grosso, prefeituras da área das Cabeceiras do Pantanal, Consórcio Complexo Nascentes do Pantanal, a ONG WWF-Brasil, além de empresas da iniciativa privada.

Acesse as ações de Sustentabilidade da Usinas Itamarati e os projetos desenvolvidos.

Saiba mais sobre o Pacto.