PESQUISA

02 de junho de 2017

Entenda o Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal

O estudo "Ánalise de Risco Ecológico da bacia do Rio Paraguai”, lançado em 2012 pelo WWF-Brasil e parceiros, revelou que a área das cabeceiras do Pantanal - local onde nascem as águas responsáveis pelas cheias da planície pantaneira - está em alto risco ecológico, apresentando o maior nível de ameaça.

© WWF-Brasil / Luiz Fernandes

Maior área úmida continental do planeta, o Pantanal é importante tanto por abrigar uma rica biodiversidade, quanto pela prestação de serviços ambientais, como o suprimento de água, a estabilização do clima e a conservação do solo.

O equilíbrio ambiental da região é interdependente da parte alta do planalto mato-grossense. Nesta área, conhecida como Cabeceiras do Pantanal, nascem as águas que desaguam na planície e possibilitam a inundação de quase 80% da parte baixa, mantendo os processos ecológicos e a paisagem cênica pantaneira. Somente, as porções altas dos rios Paraguai, Sepotuba, Jauru e Cabaçal, por exemplo, fornecem quase 30% das águas que se espalham e cobrem o Pantanal.

Como qualquer interferência no planalto impacta diretamente a planície, ações para a conservação do Pantanal só são efetivas se considerarem a bacia hidrográfica do rio Paraguai como um todo.

Para ampliar, clique aqui.

Ações Positivas pela conservação das Cabeceiras

Apesar da sua importância para a planície inundável, a área das Cabeceiras do Pantanal é a que apresenta o maior risco ecológico na região. A sua conservação é fundamental para diversos setores que dependem do uso da água para as suas atividades.

A integridade ecológica do Pantanal requer o estabelecimento de políticas públicas positivas que garantam a recuperação e retomada das funções do ecossistema. Melhorar a proteção das nascentes, incentivar o reflorestamento, restaurar a mata ciliar e adotar boas práticas agrícolas são exemplos capazes de garantir qualidade e quantidade de água, bem como um ciclo regular de cheias no Pantanal.

Juntos, poder público, setor privado e sociedade civil devem buscar soluções conjuntas para aprimorar a gestão dos recursos hídricos e promover o uso sustentável e racional da água. Ações integradoras, construídas conjuntamente, são essenciais para garantir harmonia social, econômica e ambiental na região. É esse o objetivo principal do Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal.

Faça download do documento elaborado pelo WWF-Brasil, que resume o processo de construção do Pacto e porque ele foi criado.

Acesse as ações de Sustentabilidade da Usinas Itamarati e os projetos desenvolvidos.